segunda-feira, 30 de junho de 2008

Quero você

Desbravei teus olhos inseguros atrás de respostas,
Mas cai contradição ao encontrar apenas perguntas,
Tentei ir mais alem, conhecer sua mente,
Saciar minha cede em teus lábios,
Aquecer minha alma ao teu fogo,
Unir nossas forças para evoluir,
Mas um dia depois tudo se perdeu,
Rodeado por mais perguntas e duvidas,
Procurei te abraçar, você se esquivou,
Sondei o eu olhar, mas ele se calou,
Arrumei assuntos para de ti me reaproximar,
E você os calou, se afastou, esta distante,
Mas quem é você afinal,
Porque rouba de mim o sonho,
Tiras de mim a tua amizade,
Faz-me questionar a mim mesmo,
Mas se o meu erro foi querer te conhecer,
Irei continuar a errar até morrer,
Pois quero teus segredos, defeitos,
Quero você.

BetoUchôa

domingo, 29 de junho de 2008

Sonhos distintos


São distintos os sonhos.
Alguns sonham em bens materiais,
Carros, casas, celulares ou roupas quem sabe,
Sonham em ter faculdades, dinheiro,
Outras pessoas sonham apenas quando dormem,
Se recusando a acreditar na vida,
Mas a vida em todo é um sonho,
E aqueles que se dão conta disto,
Sonham o tempo todo, sonham acordados,
E a cada dia estão sonhando coisas novas,
E vivenciando momentos novos,
Momentos raros, belos e Divinos,
Quando um sonho se torna realidade,
Tudo fica belo, claro, tudo vem à tona,
E o céu não passa a ser mais o limite,
Mas sim uma luz accessível,
Sonhar faz parte da vida,
Correr atrás dele e vive-lo,
Cabe há cada um de nos,
Vivo sonhando e vivendo,
Apenas deixarei de sonhar quando,
Os sinos da morte dobrarem para mim...

sábado, 28 de junho de 2008

São João na avenida central



Minha vida, pega a avenida central,
Não tenho grana pra comprar nem um mingau,
Caso cruze teu caminho é benção e tchau,
Neste momento tomo uma gelada pra esquecer da injustiça,
E uma quente para aquecer o coração,
Vou beber todas pois é mês de são João,
Teve até dia dos namorados e fiquei na mão, ou não,
Pelo menos não gastei nenhum tostão,
Com alguém que estava comigo por comodismo e não tinha reação,
Agora quero esquecer de tudo e cair na zoarão,
Com muitos amigos e amor no coração,
Vamos caminhar juntos vivendo a mesma emoção,
Olho para o mundo e me causa indignação,
Existe muita desigualdade, o fogueira aquece o quentão,
Fome em contraste ao carnaval, ou nao,
Esse dias estava esperando meu ônibus,
E vi os caras acabarem com a barraca do camelo,
Ele apenas estava querendo ganhar seu ganha pão,
Será que o sistema quer mais um ladrão,
Ele o terá querendo ou não, ou nao,
Por isso continuo bebendo tentando esquecer tanta humilhação,
Minha vida, pega a avenida central,
Mas todas elas são sempre igual,
Sempre acabo bêbado no matagal,
São dias de são João nada mal...

Beto Uchôa
Felipe Melantonio

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Trem fantasma




O trem fantasma que cruza minha estrada;

Nunca se atrasa;
Ele não tem trilhos nem asas;
Apenas vem e passa;
O espaço em seus vagões nunca se acaba;
E dele ninguém escapa;
É silencioso, quando passa muitas almas ele arrasta;
Não se importa com cor ou raça;
Apenas o seu corpo ele descarta;
Para uns ele é a salvação;
Outros o têm como a perdição;
O trem fantasma que cruza minha estrada;
Apenas passa e não diz nada;
O trem fantasma que cruza minha estrada;
Disseram-me que ele é uma piada;
E que tal ilusão não leva a nada;
O trem fantasma que cruza minha estrada;
Tantos já se foram com ele;
E a minha passagem já esta garantida;
Logo minha vez de partir vai chegar;
E o trem fantasma eu também vou pegar..


Beto Uchôa

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Sem nada


Sem nada, aqui ainda estou,
Ainda atrás da lógica sabendo que não há em momento algum,
Muito perto de mim alguém que não vejo,
Longe talvez minha vida ou um sonho,
Mas como saber sem arriscar,sem arriscar novamente errar,
Aqui estou esperando o mundo rodar e o futuro chegar,
Esperando você, e sem nada,
Mas onde devo chegar, e quem disse quer se deve chegar,
O que é viver se não posso fazer o que quero,
E quero agora só você,
Você em mim eu na sua alma, arriscando o amor,
Sem palavras, sem você,
Continuo sem nada............